Desculpe, o registro terminou.

O escritor e poeta Juvenal Bucuane lança, no próximo dia 29 de março, a partir das 17h30, no Camões – Centro Cultural Português em Maputo, o livro "Phombe – um trágico 9 de Janeiro em Chitima". O livro tem a chancela da Editora Fundza e será apresentado por Aurélio Ginja.


  • Data: 29/03/2023 17:30
  • Localização
  • Mais informações: Camões – Centro Cultural Português (Maputo)

Descrição

O novo título do autor foi escrito em homenagem aos 75 moçambicanos que perderam a vida na sequência do consumo da bebida local phombe, no Distrito de Cahora Bassa, Província de Tete.

Conforme lembra Bucuane, entre as 75 mortes, houve várias pessoas internadas no Centro de Saúde de Chitima e no Hospital Rural do Songo. Enquanto se enterrava os mortos e tentava-se salvar os pacientes internados, o Governo decidiu impedir, por vários dias, a preparação, o consumo e a venda do phombe, pois, todas as mortes e internamentos estavam associados ao consumo da bebida. Tal interdição constrangeu a muitos vendedores que encontravam no produto fonte de receita.

Recorrendo a factos reais, ocorridos em 2015, e com repercussão internacional, Juvenal Bucuane adotou uma técnica de escrita próxima à ficção. Por isso mesmo, o livro surpreende pelo discurso, pela descrição e, sobretudo, pelo enredo.

No mais recente livro de Juvenal Bucuane aparecem diferentes versões sobre as possíveis causas da morte de 75 moçambicanos no Distrito de Cahora Bassa, em Tete. Entre o místico e o crime, houve, inclusive, pelo menos uma prisão.

O livro do escritor charrueiro, com efeito, esclarece mal-entendidos e mergulha em questões de fundo rumo à veracidade dos factos que, inclusive, muitas semanas depois de tanta investigação, seriam esclarecidos por um laboratório norte-americano.

Phombe – um trágico 9 de Janeiro em Chitima é o segundo livro de Juvenal Bucuane chancelado pela Editorial Fundza, depois de Masingita ou a subtileza do incesto, uma novela de amor e caos lançada ano passado.



 APRESENTAÇÃO: 

  • Aurélio Ginja


 PRODUÇÃO: 

- Camões – Centro Cultural Português (Maputo)